I Colóquio [Perto do Fim] – Arquitetura, Paisagem E Morte | Niterói

 

Há lugares em que a arquitetura, o desenho urbano e as artes visuais configuram espaços onde luto e melancolia, tristeza e dor, medo e sobrenatural materializam-se e ganham evidência na paisagem. A espacialidade desses ambientes, onde a consciência da finitude humana se faz presente e nos instiga, expõe certa cultura material que age sobre nossos sentidos e ações e revela um singular aspecto da morte domesticada. Tais artefatos se apresentam como argumentos vigorosos que, uma vez materializados no território urbano, em espaços que conhecemos como cemitérios, cotejam a certeza da morte ou o morrer com a esperança da eternidade ou a pós-vida no plano metafísico. As paisagens constituídas pela fisicalidade do espaço cemiterial, suas atmosferas de silêncio e penumbras incomodam o nosso ser, pois nos remetem ao ponto final de nossas histórias, ao fim do nosso ser no mundo. Os cemitérios são lugares em que angústias, incertezas e inseguranças se ligam a relevos, caminhos, construções e imagens, constituindo uma simbologia mórbida e oca que nos adverte sobre o imponderável que um dia iremos habitar

O I Colóquio [Perto do fim]: arquitetura, paisagem e morte dá início a promissoras discussões que apresentam o cemitério como um espaço em que arquitetura, paisagem e artes visuais dialogam com a morte e onde o sentimento de angústia, inerente ao ser humano diante da certeza de seu fim, deve ser considerado como requisito programático em projetos – arquitetônicos, urbanísticos e paisagísticos – que se preocupam com o destino, cuidado e guarda de restos mortais.

A proposta deste fórum científico é um desdobramento dos resultados de pesquisa do Projeto de Iniciação Científica Estudos de Arquitetura Cemiterial no Município de Niterói, coordenado pelo Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense). O coloquio firmou parceria com o grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas (EBA/UFRJ), através da projeto Cemitérios: lugar de dor luto e memórias paisagísticas e visa aprofundar os  estudos sobre as paisagens fúnebres que se manifestam na cidade contemporânea.


Programa

14h00 – 14h10Abertura
O cemitério como objeto de estudo em arquitetura, urbanismo e paisagismo.
Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (EAU-UFF)
14h10 – 14h50Espaços cemiteriais no Município de Niterói.
Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (EAU-UFF).
14h50 – 15h50Onde a morte habita: arquitetura funerária e jardins cemiteriais.
Prof. Dr. Rubens de Andrade (EBA/UFRJ).
15h50 – 16h10Arqueologia e as práticas funerárias: a morte e os locais de enterramento.
Profa. Dra. Jackeline de Macedo (GPHP-EBA/UFRJ | PROARQ-FAU/UFRJ).
16h10 – 16h50Mediação
Profa. Dra. Eloisa Araújo (EAU-UFF)
16h50 – 17h00Encerramento
Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (EAU-UFF)

 


Público Alvo

O colóquio é aberto à participação de graduandos e pós-graduandos, assim como de profissionais e interessados no recorte temático do evento. O encontro científico está atrelado ao projeto Estudos de arquitetura cemiterial no município de Niterói, coordenado pelo Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (EAU-UFF) e conta com o apoio do projeto Cemitérios: lugar de dor, luto e memórias paisagísticas do Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas (EBA/UFRJ).

*Serão fornecidos certificados de participação aos inscritos, mediante solicitação.

Inscrição 







 Participantes

 

Guilherme Figueiredo | Arquiteto e Urbanista; Professor Adjunto do Departamento de Arquitetura da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense; Doutor e Mestre em Ciências em Arquitetura pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura – Proarq-FAU/UFRJ.

 

 

Rubens de Andrade | Paisagista; Mestre em Arquitetura (PROARQ-FAU/UFRJ) e Doutor em Planejamento Urbano e Regional (IPPUR/UFRJ); Professor Adjunto da Escola de Belas Artes (EBA/UFRJ) e Coordenador do Grupo Paisagens Híbridas (EBA/UFRJ).

 

Jackeline de Macedo | Arqueóloga, Mestre em Arquitetura na área de Preservação do Patrimônio pelo PROARQ/FAU/UFRJ. Doutora em Arqueologia pelo MAE/USP (2011). Ligada ao Grupo de Restauro do PROARQ-UFRJ como arqueóloga pesquisadora; ao Grupo de Pesquisa de História do Paisagismo da EBA/UFRJ (2010-2014) e é membro do Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas da EBA/UFRJ.

 

 

Eloisa Araujo |Arquiteta e urbanista; Professora Adjunta do Departamento de Urbanismo da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense e do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo – PPGAU/UFF; Doutora em Urbanismo pela UFRJ/FAU/PROURB e Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

 


 Local

 Espaço Cultural Correios
Av. Visconde do Rio Brando, 481 – Centro
24020-004 – Niterói – RJ

 


Créditos
Organização/Coordenação: Prof. Dr. Guilherme Figueiredo (EAU-UFF)
Bolsista: Tiago Tasca Mendes

Realização:
Universidade Federal Fluminense/Escola de Arquitetura e Urbanismo
Projeto de Iniciação Científica Arquitetura Cemiterial no Município de Niterói

Parcerias:
Escola de Arquitetura e Urbanismo (EAU-UFF)
Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas | GPPH – EBA/UFRJ

Apoio:
FAPERJ – Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Ciência do Estado do Rio de Janeiro
Espaço Cultural dos Correios

   Paisagens Hibridas

 

 

Paisagista pela Escola de Belas Artes/Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestre em Ciências da Arquitetura pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura – ProArq – FAU/UFRJ. Doutor em Planejamento Urbano e Regional pelo Programa de Pós-Graduação de Planejamento Urbano e Regional ? IPPUR/UFRJ. Professor Adjunto da Escola de Belas Artes/UFRJ, no Curso de História da Arte. Atua como Coordenador do Grupo de Pesquisas História do Paisagismo- EBA/UFRJ.

Escola de Belas Artes| Universidade Federal do Rio de Janeiro

Compartilhar

Postagens recentes