A forma-jardim: cultura artística e visual na paisagem

A forma-jardim expressa uma ideologia e desempenha um papel distinto no ambiente urbano. Materializa-se através de um conjunto de ações construtivas que se revelam no cotidiano da cidade através da configuração de espaços cuja formatação pode estar ou não alinhada a uma ordem de usos e funções utilitários, científicos ou, simplesmente, de prazer. Ela se distingue quando enquadra a natureza previamente existente, e nela desenha paisagens que possuem escalas específicas de intervenção, usos socioambientais distintos e estilos que além de modelar a paisagem tornam-se o reflexo de múltiplas ideologias. O conteúdo material e imaterial que nela se manifesta é em grande parte o resultado das negociações firmadas entre o homem e o ambiente. A conjuntura sociocultural e espaço-temporal deve, também, ser considerada como fator essencial a sua existência. Se o jardim é um exercício continuado do apropriar-se da natureza em seu estado bruto, deve-se também observar que sua originalidade enquanto espaço construído é garantida pelo modus operandi utilizado para redimensionar o ambiente natural e nele, potencializar representações, cuja aparência nada mais é que uma sobreposição de múltiplas camadas de tempo e ideologias. A cada nova camada acrescentada, o homem ensaia e justifica o seu domínio sobre a natureza.7

The garden-formartistic and visual culture in the landscape

The garden-form expresses an ideology and a distinct role as garden in the urban context. It is implemented through a set of constructive actions that are revealed in the daily life of the city through the configuration of spaces whose formatting may or may not be aligned with an order of use (as functionality), under certain scientific reason(s) or simply as pleasure. The difference factor is when combined with the preexisting nature it draws landscapes that have specific scales of intervention, distinct social and/or environmental uses and styles that the additional ‘reshape’ (configuration) over the landscape brings a reflection of multiple ideologies. The tangible and intangible content is largely the result of a relation between man and the environment as a business deal, by achieving or granting different topics as negotiating. The sociocultural and spatial-temporal context also have to be considered an essential factor. If the garden is an exercise of a continuous appropriation of nature in its raw state, to recognize his uniqueness character condition of a certain landscape, it is the modus operandi to resize the natural environment, enhance representations to be considered, an overlap of multiple layers of time and ideologies into a new constructed space; in each new layer added, man experiment and justify his dominate influence over nature.

Pesquisadores

Sergio Tomasini Agrônomo (Universidade de Passo Fundo), mestre e doutor em Engenharia Civil (Universidade Federal do Rio Grande do Sul),…
Paisagista pela  Escola de Belas Artes | Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA/UFRJ), Mestre em Arquitetura Paisagística pelo PROURB/FAU/UFRJ.…
Paisagista  pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Arquiteta e Urbanista pelo Instituto Metodista Bennett, …
Agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa, Doutor  em Paisagismo (Landscape Architecture) pelo Edinburgh College of Art / Heriot-Watt University. Docente…

Publicações