A cidade como artefato:  arqueologia, paisagens e patrimônio

O estudo da paisagem no campo da arqueologia envolve questões complexas sobre a maneira com que os grupos moldaram seus espaços sociais e culturais, construíram seu patrimônio cultural e de como estes podem ser percebidos, classificados, e acima de tudo, de como estes espaços moldam o ambiente em que habitaram a partir de processos simbólicos que estão vinculados a tradições e à memória. A cidade é um dos principais artefatos produzidos pelo homem, serve de morada aos grupos sociais, de palco para a produção de eventos e de espetáculos e, além de produto, ela atua enquanto produtora de relações sociais. A cidade é assim, uma estrutura híbrida e complexa. A Arqueologia Histórica, através de seus instrumentais metodológicos, incorpora problemáticas associadas ao passado dos grupos e pessoas comuns que em determinado momento ficaram silenciados nos discursos históricos, e neste sentido foram identificadas por Eric Wolf (1982) como “pessoas sem história”. Considerando esses aspectos diante da necessidade de explorar esse campo temático, pretende-se, através do engendramento das teorias e das práticas do campo da arqueologia, reconhecer a paisagem que se constrói no meio da multiplicidade de processos que nela se impõe.

The city as artifact: archeology, landscapes and heritage

The study of the landscape in the field of archeology involves complex questions about how groups have shaped their social and cultural spaces, built their cultural heritage, and how they can be perceived, classified, and above all, how these spaces shape the environment in which they lived from symbolic processes that are linked to traditions and memory. The city is one of the main artifacts produced by man, used as housing for social groups, stage for the production of events and shows and, in addition to product, it acts as producer of social relations. The city is thus a hybrid and complex structure. Historical Archeology, through its methodological tools, incorporates problems associated with the past of groups and ordinary people that at one point were silenced in historical discourses, and in this sense were identified by Eric Wolf (1982) as "people without history". Considering these aspects in view of the need to explore this thematic field, it is intended, through the development of theories and practices of the field of archeology, to recognize the landscape that is built inside a multiplicity of processes that are imposed on it (landscape).

Pesquisadores

http://lattes.cnpq.br/1441357773868000
Professora visitante do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura – PROARQ-FAU/UFRJ Pesquisadora do Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas – GPPH-EBA/UFRJ. http://lattes.cnpq.br/6251829887799470

Publicações