Curso Livre

Curso | Saberes Arqueológicos: cidade, paisagem, patrimônio
Profa. Dra. Jackeline de Macedo
Período | 06, 13, 20 e 27 de abril de 2021
Investimento: R$ 150,00


A PROPOSTA

Arqueologia no espaço-tempo contemporâneo apresenta questões essenciais para pensar o viver na cidade sejam elas relacionadas à preservação do ambiente construído, a conservação do patrimônio cultural, a prospecção de sítios arqueológicos, a recuperação ou a socialização dos artefatos com a sociedade através de museus, dos estudos na esfera universitária ou mesmo nas âmbito da cibercultura.

Os saberes arqueológicos alinham possibilidades interpretativas para dimensionar os cursos da história da cidade, tratam de ancestralidades e tradições, revelam signos e símbolos, percorrem com seus olhares atentos os ritos e práticas culturais de diferentes grupos sociais. A ordem de leituras e narrativas presentes nesses saberes, movimentam ideias e são capazes de oferecer a sociedade, meios para reconstrução de paisagens, formas de revisitar memórias de cotidianos que não mais estão presentes através de materialidades que sobreviveram ao tempo, as intempéries, que estão ocultas, ou não, pelas camadas de tempo e de sedimentos que a dinâmica da cidade e as mudanças na sociedade impuseram ao ambiente construído.

Considerando a relevância da discussão e o interesse em compartilhar conhecimentos sobre a  disciplina de Arqueologia, a Linha de Pesquisa A cidade como artefato: arqueologia, cidade e patrimônio do Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas, apresenta o Curso Livre Saberes Arqueológicos: cidade, paisagem e patrimônio, uma oportunidade de apresentar marcadores conceituais e práticas arqueológicas in situ a pesquisadores, profissionais e o público interessado nesse campo disciplinar.

JUSTIFICATIVA

A Arqueologia e o patrimônio arqueológico são instrumentos valiosos na construção da história da cidade e permitem preservar a memória, reafirmar as tradições, além de contribuir no fortalecimento da identidade e da cidadania de uma nação. O compartilhamento dos saberes e a capacitação do público são vetores relevantes na promoção e na valorização da Arqueologia. Apesar de ter ficado durante muito tempo marcada como sendo a disciplina que estuda os objetos antigos e exóticos, atualmente esta visão tem se alterado e ampliado seu campo de alcance através de ações relacionadas ao estudo da materialidade sem limitações cronológicas podendo estudar a cultura material do passado ou do presente.

O desconhecimento sobre a prática e a relação distorcida do público com a Arqueologia são as causas que contribuem de forma significativa para a não preservação e a destruição do patrimônio arqueológico. Para público leigo, a disciplina é interpretada como algo exótico através de narrativas ficcionais como aquelas presentes na literatura ou no cinema, e não como algo voltado a uma abordagem científica e ao cotidiano histórico da cidade. Tal perspectiva, reduz a dimensão desta área de conhecimento e distorce o entendimento sobre o que é patrimônio arqueológico.

Diante desse contexto o curso se justifica pelo interesse em abordar os fundamentos gerais da pesquisa arqueológica, no interesse de traçar um panorama sobre as atribuições do arqueólogo, sua relevância no estudo da cidade como também, apontar aspectos que relacionam esta disciplina ao campo da preservação do patrimônio assim como, sua contribuição para os estudos da paisagem. Destaca-se que o curso não pretende formar arqueólogos, mas apresentar aqueles interessados no recorte temático do curso noções básicas para que possam compreender questões pertinentes a esta disciplina, além de elucidar equívocos relacionados à prática e ao objeto de estudo da Arqueologia.

OBJETIVOS DO CURSO

Apresentar conceitos básicos da Arqueologia e a utilização de ferramentas como artefatos, oralidade, documental, iconográfica e histórica para a interpretação e construção do passado humano.

Dimensionar o conhecimento do estudo da Arqueologia, da pesquisa arqueológica, da preservação do patrimônio arqueológico e revitalização de paisagens históricas.

Instrumentalizar o interessado no curso, para que este possa compreender quais são as etapas do trabalho de Arqueologia, quem é o profissional arqueólogo, como ele atua na recuperação dos artefatos e na produção de conhecimento específico.

Demonstrar como é produzido o conhecimento arqueológico a partir da análise de estudos de caso de pesquisas arqueológicas que foram realizadas no bojo de projetos de restauração, na recuperação de jardins, na revitalização de áreas degradadas, entre outros.

METODOLOGIA DE CURSO

Atividades Síncronas (6 horas)

Ocorrerão nos dias 06, 13, 20 e 27 de abril, terça-feira de 2021 às 19:00

As Sessões serão divididas em duas partes: a primeira consiste em preleção com abordagens teórico-conceituais (60 minutos), a segunda estará aberta ao diálogo, debate e discussão de textos com os participantes (30 minutos).

A preleção utilizará de narrativas e recursos audiovisuais cujo objetivo é a interação com o conteúdo programático do curso. As questões voltadas a identificação de artefatos, a análise de sítios arqueológicos, a construção de projetos de pesquisa que servirão de estudos de caso e objeto analítico serão contempladas mediante a esta prática pedagógica.

Atividades Assíncronas (4 horas):

Será disponibilizado aos inscritos através de correio eletrônico conteúdo digital que complementará as atividades síncronas. Textos para leituras dirigidas, endereços de sites institucionais e de material áudio visual (vídeos e filmes).

PROGRAMA DO CURSO

   
Sessão 1 | 06-04


Dimensões e atravessamentos entre arqueologia e patrimônio arqueológico
Atividades
Arqueologia e patrimônio arqueológico: dimensões, entraves e desafios na construção de um campo disciplinar

Notas e conceitos fundamentais da arqueologia: trajetórias históricas e narrativas contemporâneas sobre uma disciplina essencial ao estudo da cidade, paisagem e patrimônio

Os saberes arqueológicos como dispositivo conceitual, metodológico e prático na instrumentalização de projetos e ações de proteção patrimonial
Assíncrona (1h00)

Aula expositiva (1h30)
Sessão 2 | 13.04

A pesquisa arqueológica, o trabalho do arqueólogo
Etapas da pesquisa arqueológica

Conceitos e divisões no campo da Arqueologia: Pré-histórica e Histórica

Os sítios arqueológicos e os artefatos: relevância e atravessamentos na história humana.

Formas de abordagem do objeto de estudo e a sistematização da pesquisa.
Assíncrona (1h00)

Aula expositiva (1h00)

Diálogos e discussão sobre os textos (30 min)


Sessão 3 | 20.04

Introdução à Arqueologia Histórica
Arqueologia Histórica: conceitos e panorama no campo de estudo

Fontes de pesquisa arqueológicas: território da pluralidade e especificidades

Métodos e práticas em sítios arqueológicos históricos
Assíncrona (1h00)

Aula expositiva (1h00)

Diálogos e discussão sobre os textos (30 min)
Sessão 4 | 27.04

Patrimônio arqueológico: pesquisas sistematizadas e matrizes metodológicas
Arquitetura da paisagem e a cultura paisagística sob os saberes da pesquisa arqueológica.

Pesquisa arqueológica e Projetos de Restauro: Práticas projetuais e Estudos de casos

a) Sítio Arqueológico Jardim do Passeio Público, Rio de Janeiro-RJ

b) Sítio Histórico da Igreja de São Lourenço dos Índios, Niterói - RJ
Assíncrona (1h00)

Aula expositiva (1h00)

Diálogos e discussão sobre os textos (30 min)

INSCRIÇÕES

Investimento: R$ 150,00

Período de Inscrição
:
01 de fevereiro a 30 de março

Período de efetivação da matricula:
30 de março a 03 de abril

Confirmação da inscrição: 
30 de março a 03 de abril.

(O acesso para pagamento on line estará disponível entre 30 de março e 03 de abril)

O Curso será efetivado com o mínimo de 10 inscritos até o dia 30 de março.

Serão conferidos Certificados mediante a 75% de frequência

Serão ofertadas 2 bolsas de 50%. Os interessados deverão encaminhar carta de intenção, justificando seu interesse pelo curso e currículo para o e-mail: curso.arqueologiaph21@gmail.com até 30 de março. Os selecionados serão contactados via correio eletrônico.







TAXA DE INSCRIÇÃO

Confirmação da inscrição: 30 de março a 03 de abril.

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

REFERÊNCIAS

ABREU, Carol de (Org.).  Anchieta – a restauração de um Santuário. Rio de Janeiro: 6ª CR/ IPHAN, 1998.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: UNESP, 2001.CURY, Isabelle. (Org.). Cartas patrimoniais. 2. Rio de Janeiro: IPHAN, 2000.

FAGUNDES, M. “Natureza e Cultura: estudos teóricos sobre o uso do conceito de paisagem em pesquisas arqueológicas – geografia cultural, antropologia maussiana e o conceito de lugar”. In: TRINDADE, J; TERRA, C. (Orgs.) Arqueologia na paisagem: olhares sobre o jardim histórico. Rio de Janeiro: Rio Book’s, 2014, p. 22-43.

FUNARI, Pedro Paulo Abreu. Arqueologia. São Paulo: Ática S. A, 1988.MACEDO, J. et al. “Arqueologia na Villa Aymoré: cacos, frascos e garrafas de vidro”. In: O Ideário Patrimonial. Tomar: Instituto Politécnico de Tomar/ IPT, nº 9, dez.2017a.

MACEDO, J. ANDRADE, R.; TERRA, C. (Orgs). Arqueologia na paisagem: a cidade como artefato. Rio de Janeiro: Rio Book’s, 2017.

MACEDO, J.; ANDRADE, R. (Orgs.) Arqueologia de paisagens múltiplas. Rio de Janeiro: Paisagens Híbridas, 2016.

MACEDO, J.; ANDRADE, R.; TERRA, C. (Orgs). Arqueologia na paisagem: novos valores, dilemas e instrumentais.  Rio de Janeiro: Rio Book’s, 2012.

MACEDO, J. Os Nós da Arqueologia: leituras da paisagem e memória na igreja de Nossa Senhora da Saúde, Rio de Janeiro – RJ. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu de Arqueologia e Etnologia MAE/USP, São Paulo, , 2011.

MACEDO, Jackeline de. A Arqueologia aplicada na preservação de bens culturais – Estudo de caso: a igreja de São Lourenço dos Índios, Niterói/RJ. Dissertação de Mestrado em arquitetura – Universidade Federal do Rio de Janeiro/FAU/PROARQ/UFRJ, Rio de Janeiro, 2003.

MENESES, U. B. de. O estudo da cultura material nas sociedades antigas. In: Revista de História, Nova Série, São Paulo, nº 115, 1983, p. 110-113.

NAJJAR, Rosana P. M.  Construtores de Igrejas: um estudo arqueológico da presença da Companhia de Jesus no litoral brasileiro. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Universidade de São Paulo/USP, São Paulo, 2005.

______. Catequese em Pedra e Cal: estudo arqueológico de uma igreja jesuítica (Nossa Senhora da Assunção – Anchieta/ES. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade de São Paulo/ USP, São Paulo, 2001.

_____. (Org.) Manual de Arqueologia Histórica em Projetos de Restauração. Brasília: IPHAN, 6ª Superintendência Regional do IPHAN, ORSER Jr., Charles E. Introdução à Arqueologia histórica. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1992.

SAMPAIO, A. C. O. “Uma tapeçaria de paisagens: a simultaneidade de passados no Morro da Glória/ Rio de Janeiro”. In: MACEDO, J. de; ANDRADE, R. (Orgs.) Arqueologia de paisagens múltiplas. Rio de Janeiro: Paisagens Híbridas/ Escola de Belas Artes/UFRJ, 2016, p. 124-139.

SAMPAIO, A. C. O. Do monumento ao fragmento: o jardim de passados do Museu Casa de Rui Barbosa. Dissertação (Mestrado em Museologia) – UNIRIO, 2008.